Inovação: reinventar-se é preciso, empregado ou não

Empregame - Plataforma inovadora que conecta profissionais e empresas

+55 (11) 93316-7432
Empregame - Plataforma inovadora que conecta profissionais e empresas

Blog

Inovação: reinventar-se é preciso, empregado ou não

Inovação: reinventar-se é preciso, empregado ou não

inovacao-e-preciso

Inovação é o ato ou o efeito de inovar, ação importante para todos nós, em especial no mercado de trabalho. Quer estejamos empregados ou não.

Inovar é um dos principais verbos de nosso vocabulário atual. Muito usado, explorado, debatido e, por vezes, banalizado, é um assunto recorrente. Principalmente em tempos de VUCA que, em português, significa Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade.

Tenho falado muito sobre tempos exponenciais, transformações do mercado de trabalho e alguns conceitos que tentam traduzir este novo mundo, principalmente pensando em mercado de trabalho. Todos esses temas e transformações estão interligados a essa competência que assumiu papel protagonista: a Inovação. E por que ela é tão necessária? Porque as transformações estão em curso, independentemente de nossa vontade, de leis, políticas ou regras.

Quando pensamos na palavra inovação, automaticamente, para boa parte das pessoas, o termo remete às novidades tecnológicas, pois esse é um segmento veloz e eficaz em apresentar soluções diferenciadas. Porém, é preciso ficar claro que não existe a necessidade da presença de elementos tecnológicos para se promover a inovação. Muito pelo contrário, ela deve ser encarada como um processo, um exercício constante. Devemos investir muito mais tempo em práticas inovadoras e pessoas do que em bens duráveis.

Roteiro para a inovação nos negócios

brainstorm-para-inovação

Uma boa sugestão de roteiro para qualquer instituição que sinta necessidade ou deseja inovar seria estimular e garantir espaço para a geração de ideias, seja por meio de qualquer ação ou pelo uso das inúmeras ferramentas disponíveis no mercado em lugares inusitados, como uma sala de reunião num jardim, por exemplo. Com isso, realiza-se uma sessão de brainstorm, que é a dinâmica de gerar uma tempestade de ideias.

Uma vez coletados os insights, organize-os e desenvolva os mais apropriados, definindo os próximos passos. Faça dessa rotina uma política vigente interna. Nesse sentido, é necessário que ela consiga ter sinergia com a visão e a missão institucional, ou seja, precisa, necessariamente, ser pertinente e conseguir engajar o maior número de funcionários, a fim de estimular a práxis do movimento inovador.

Finalizando, após estabelecidas as diretrizes, a inovação passa a ser uma questão de atitude e, para tal, são necessárias pessoas que façam a diferença, que sejam críticas, que não se acomodem com o que já está estabelecido e proponham as mudanças necessárias, principalmente visando melhorias e diferenciação em relação à concorrência.

Ampliando um pouco nossa faixa de stakeholders, nossos clientes também podem e devem ser agentes importantes de inovação. Se conseguirmos estabelecer canais ou ferramentas para ouvi-los, para que eles possam avaliar nossos produtos e serviços, eles terão voz ativa e nos dirão, sem custo algum, o que pensam e como imaginam que podemos melhorar nosso trabalho.

Não está empregado? Busque a inovação mesmo assim!

Para profissionais que se encontram desempregados ou precisam buscar outras oportunidades, tal processo também deve ocorrer, pois ele precisa revisitar todo o seu arsenal de cultura e as suas competências, inovando e desenvolvendo outras que talvez necessite e que consigam levá-lo para um patamar ou mercado de trabalho diferente.

Ao entendermos o caráter processual da inovação, enquanto um conjunto de etapas, certamente estaremos caminhando rumo a um cenário de aperfeiçoamento constante de nossas práticas, seja como autônomo, empresário ou funcionário de qualquer instituição.

Sendo assim, vamos lá: considere as três principais etapas desse processo

  • Invenção
  • Criatividade
  • Inovação

E bem-vindo (a) ao cenário e ao tempo em que inovar é mais que uma necessidade, é uma atividade diária embutida em nossos fluxos de trabalho.

João Carlos Goia é gerente do Senac Piracicaba, jornalista pós-graduado em criação de imagem e sons em mídias digitais e mestre em Educação.

Compartilhe esse artigo

Receba nossas novidades

Cadastre-se para receber as nossas novidades e dicas.

Fale Conosco


    Telefone

    +55 (11) 93316-7432

    Email

    contato@empregame.net.br